Chanel

Gabrielle nasceu em 1883, e aos 13 ficou órfã, sendo educada por suas tias. Quebrou padrões ao negar se casar, além de manter vários amantes. Odiava a ideia de vestir babados, plumas ou rendas, tudo que fazia parte das vestimentas femininas. Logo ela complementava seus looks básicos com as roupas de seus companheiros. Como repetiria depois, criando os tailleurs de tecido tweed, ela transformava a indumentária masculina em clássicos da moda feminina. Sua visão era da independência da mulher, unindo conforto e estilo em peças sóbrias.  Foi a primeira estilista a usar calças e lançar seu próprio perfume, o Chanel Nº 5.

 

Mary Quant

Na década de 60, a britânica Mary Quant lançava despretensiosamente a peça que revolucionou os movimentos femininos. Como forma de libertação, Quant cortou 20 cm de sua saia, lançando então as minissaias. Ela também é a estilista responsável por lançar a famosa Hot Pants. Quant sofreu extremo preconceito pelas suas invenções, como retribuição em 1966 a Rainha Elizabeth II a condecorou com a Ordem do Império Britânico. O sonho de Mary Quant era criar roupas femininas livres, cheia de cores e alegria, e conseguiu.

 

Miuccia Prada

Miuccia é a estilista que assumiu a empresa criada pelo seu avô. Assumiu a Prada com muito receio. Na época ela focava em lutar pelos direitos femininos, além de fazer parte dos movimentos socialistas. Quando assumiu a Prada, ela focou em trazer a moda e a identidade da marca para mulheres inteligentes, inovadoras e ousadas. O seu foco é fazer com que o feminismo tenha visibilidade pelo mundo da moda.  Miuccia hoje é dona do conglomerado da moda que inclui as marcas Miu Miu, Helmet Lang e Azzedine Allaia, é a mais tímida das estilistas além de ser PHD em Ciência Política.

 

Vivienne Westwood

Vivienne se mudou para Londres aos 17 anos e começou a cursar moda, desistiu, pois achou que não tinha talento. No seu segundo casamento, com o produtor da banda Sex Pistols, que ela se reconectou com o mundo criativo da moda. Passou a desenvolver peças irreverentes, sendo precursora do movimento punk na moda. Mesmo após a baixa do movimento punk, Vivienne continuou se reinventando, fazendo do espaço da moda um local para protestar pelo que acredita.

 

Marilyn Monroe

Marilyn quebrou os padrões com relação a entender, aceitar e se vestir de acordo com o seu corpo. Até hoje é considerada um ícone no mundo da moda, reconhecida pelas calças curtas acima do tornozelo, paletós justos, Hot Pants e vestidos de cintura marcada, tudo que valorizasse o seu corpo.  Marilyn lutava contra o machismo dentro de hollywood ao criar sua própria produtora, com metade das mulheres ocupando os cargos. Marilyn ditou moda ao mostrar que a mulher poderia vestir o que quisesse.

 

Audrey Hepburn

Audrey que sofreu muito durante a Segunda Guerra Mundial, chegou a passar fome e a perder todos os familiares. Foi bailarina e atriz. Era considerada alta demais, magra demais e mesmo assim conseguiu revolucionar a moda, onde seu modo de vestir é tendência até hoje. Ela foi a musa de Givenchy que criou inúmeros looks para a atriz. Ela é lembrada pelas suas roupas mais estruturadas e elegantes. Audrey era muito gentil e lutava pelos direitos das minorias, além de ter uma ONG que carrega seu nome.

 

Essas mulheres incríveis nos inspiram até hoje, não só pela sua beleza e influência na moda, como pela força para quebrar padrões e paradigmas. E vocês, mulheres incríveis que vestem Poema, o que vocês acharam? Manda um e-mail pra gente contando que mulheres no mundo da moda influenciam no estilo de vocês, e conta também como se sentem vestindo a Poema! O endereço é amopoema@amopoema.com.br. Beijinhos e até a próxima!